NOSSA REALIDADE CRIMINOSA DE CADA DIA, JÁ É AMPLAMENTE DIVULGADA NO EXTERIOR.

Vídeo


https://www.facebook.com/photo.php?v=646452368757542&set=vb.126470790755705&type=2&theater

Este vídeo, gravado em favelas do Rio de Janeiro, é um documentário independente, feito em parceria com repórteres estrangeiros.
Está legendado e mostra como é nossa realidade violenta no dia a dia das grandes cidades brasileiras, e como o nosso mentiroso governo insiste em negar e dizer que está tudo sob controle e em absoluta paz.
Mostra que a tal “pacificação de favelas” não passa de um embuste, de uma enganação.
Compartilhe o link e envie aos seus amigos “anestesiados”, que não enxergam essa realidade.

 

O Estado Brasileiro: Alô, Forças Armadas! Aviões venezuelanos despejam centenas de guerrilheiros no Brasil?


O Estado Brasileiro: Alô, Forças Armadas! Aviões venezuelanos despejam centenas de guerrilheiros no Brasil?.

Alô, Forças Armadas! Aviões venezuelanos despejam centenas de guerrilheiros no Brasil?

Os supostos médicos cubanos foram substituídos? 

da redação OEB 
Enquanto aqueles que anseiam preservar e conservar a democracia festejam o “cancelamento” da vinda de 6.000 médicos guerrilheiros cubanos, algo muito estranho acontece.
Aviões venezuelanos descarregam centenas de guerrilheiros em Mato Grosso do Sul? Estes se espalham pelo Brasil, numa visível operação nada lícita, sobretudo pela conivência governamental e, obviamente, para operações de tomada de poder, já que o povo provou nas ruas que não querem mais os atuais governantes, com destaque para Dilma e seu chefe Lula.
Apelamos para a inteligência das Forças Armadas e autoridades que têm a obrigação, prevista na Carta Magna, de proteger e evitar tal invasão não noticiada.
Onde estão nossas Forças Armadas nesta hora?
Estão aprovando deliberadamente?
Estão cientes e concordando com o que vai contra a vontade popular, que é a manutenção da democracia e expulsão do comunismo?
ONDE ESTÃO AQUELES QUE TÊM OBRIGAÇÃO DE NOS PROTEGER?
Acreditamos ser motivo de IMPEACHMENT por contrariar a vontade popular, ameaçando o regime Republicano e nossa soberania, caso seja o que todos estão concluindo ser.
O Brasil precisa de uma explicação sobre isso, para que não cause uma verdadeira confusão.

Segue, na íntegra, material publicado em forma de post no Facebook: click no link acima e leia tudo. 

MEU COMENTÁRIO:
Cambada de traíras! Temos que pedir intervenção militar já!
O BRASILEIRO está sendo traído por esse governo traidor, apátrida, criminoso!
Lula, o bandido maldito, segue chefiando tudo nos bastidores e o nosso Judiciário Cúmplice dessas traições, dando cobertura ao governo traidor de Dilma, bem como de seus ministros bandidos…
 
ACORDA BRASIL!

Republiqueta – O vídeo proibido pela petralha – YouTube


ANIMAÇÃO EM VÍDEO, QUE ESCRACHA OS FATOS QUE O PT NÃO QUER VER NA MÍDIA SERVIL E OBEDIENTE.

TENTARAM CENSURAR ESTE VÍDEO, MAS AGORA ESTÁ DISPONÍVEL.

COMPARTILHE!

Republiqueta – O vídeo proibido pela petralha – YouTube.

Juristas organizam movimento para derrubar reforma do Código Penal – Jornal O Globo


Juristas organizam movimento para derrubar reforma do Código Penal – Jornal O Globo.

Juristas organizam movimento para derrubar reforma do Código Penal

Ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior afirma que a proposta “não tem conserto”

TATIANA FARAH

Publicado:6/09/12 – 20h17
Atualizado:6/09/12 – 20h21

SÃO PAULO – Setores da comunidade jurídica organizam um movimento para derrubar o projeto de reforma do Código Penal que tramita no Senado. Um dos articuladores do grupo, o ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior afirma que a proposta “não tem conserto” e, com um manifesto de mais de três mil assinaturas, pede seu “sobrestamento”. Um dos organizadores do manifesto é o advogado René Dotti, que deixou a comissão de juristas que assessorava o Senado por discordar do andamento da reforma.

— São aberrações jurídicas. O conjunto está comprometido. Não se pode fazer emenda para resolver. O projeto foi feito no afogadilho e o professor Dotti se afastou diante desse açodamento — disse Reale na quinta-feira, em entrevista por telefone ao GLOBO.

Ao documento lançado pelo Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCrim), pelo Instituto Manoel Pedro Pimentel, da USP, e pelo Insituto Transdisciplinar de Estudos Criminais (ITEC), somam-se nomes como o do subprocurador-geral da República Juarez Tavares e do jurista Geraldo Prado. As críticas se referem ao conteúdo geral do projeto e à falta de interseção com a comunidade jurídica e com a própria sociedade. Os juristas consideraram muito curto o prazo de sete meses de desenvolvimento do projeto e afirmaram que foram poucas as audiências públicas organizadas para a elaboração da reforma.

São muitos os pontos criticados no texto final apresentado pelo Senado:

— Eliminou-se o livramento condicional, retirando um instrumento consagrado, utilizado há mais de um século no mundo. A proposta vai aumentar o encarceramento no país. Mas, ao mesmo tempo em que prevê o endurecimento de leis, também provoca a sua fragilização. Institui a barganha (em que acusado e defesa concordam), acabando com o processo penal e aplicando a pena mínima para qualquer crime. Com isso, na barganha, fica proibido que o réu vá para o sistema fechado (prisão)— exemplifica Reale.

Outro problema apontado pelo jurista diz respeito a movimentos sociais, como o MST:

— Os movimentos sociais foram excluídos de serem enquadrados em crimes de terrorismo.

O manifesto da comunidade jurídica aponta ainda para outra incongruência. A pena para a omissão de socorro a um humano é 12 vezes menor que a omissão de socorro a um animal. “Em síntese: para uma criança abandonada ou uma pessoa ferida (abandonada) a pena mínima é de um mês ou multa e em relação a qualquer animal é de um ano, ou seja, 12 vezes superior”, diz o texto, que chama o projeto do novo código de “Projeto Sarney”, em referência ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP):

— Tudo foi apressado. Sarney quer se imortalizar como autor do projeto— critica Reale, que apontou ainda outros problemas: — A cada passo temos uma surpresa. Agora, todo homicídio ficou qualificado e a eutanásia poderá ser praticada, com perdão judicial, por qualquer parente de paciente em estado grave, sem a exigência de um atestado médico.

Professora de Direito do Largo São Francisco, da USP, Janaina Conceição Paschoal também rejeita o projeto.

— Não consigo ver no projeto nenhum benefício para a sociedade e para a segurança pública. Os artigos 137 e 140 aumentam a pena para difamação. Com isso, um jornalista pode pegar até quatro anos de pena. Nem na ditadura as penas para os jornalistas eram desse porte. No que o Brasil melhora assustando seus jornalistas?— pergunta ela.

O GLOBO tentou falar com o vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Gilson Dipp, coordenador do grupo que assessorou o Senado, mas ele esteve em reuniões durante todo o dia e não atendeu a reportagem. Também tentou falar com o relator da comissão, o procurador da República Luiz Carlos dos Santos Gonçalves, mas não conseguiu localizá-lo.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/pais/juristas-organizam-movimento-para-derrubar-reforma-do-codigo-penal-6021357#ixzz25pa10cwP
© 1996 – 2012. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

G1 – Advogados citam Pessoa e Luther King em defesa de Demóstenes – notícias em Política


G1 – Advogados citam Pessoa e Luther King em defesa de Demóstenes – notícias em Política.

 

Meu comentário sobre esse assunto:

Eu acredito que ele (Demóstenes) de fato, deve ser o boi de piranha da vez, escolhido pela máfia de Lula e cia para despistar e deixar todos os verdadeiros monstros assassinos de brasileiros, continuar sua carnificina…

Oposição venezuelana chama Lula de “mercador” e critica apoio a Chávez


A oposição venezuelana fez duras críticas neste sábado ao apoio expressado pelo ex-presidente Lula ao colega Hugo Chávez, às vésperas das eleições presidenciais do país, marcadas para outubro. Em nota, a coalizão de partidos opositores na Venezuela, a Mesa de Unidade Democrática (MUD) classificou as palavras do ex-presidente brasileiro de “infelizes”, comparando-as às de um “mercador”.

“O Brasil é um grande país e os brasileiros um grande povo. Não o julgamos (Lula) por essas palavras infelizes que mais que de um estadista, parecem com as de um mercador”, assinalou o comunicado.

A crítica fazia alusão às declarações de solidariedade que Lula transmitiu a Chávez na última sexta-feira em um vídeo gravado durante o término do 18º Fórum de São Paulo, realizado na capital da Venezuela, Caracas. “Chávez, conte comigo, conte com o PT, conta com a solidariedade e apoio de cada militante de esquerda, de cada democrata e de cada latino-americano. Tua vitória será nossa vitória”, disse Lula no vídeo.

Edmundo González, membro da comissão internacional da coalização opositora, afirmou à imprensa venezuela que o apoio do ex-presidente brasileiro causou mal-estar entre a oposição do país. Segundo ele, as palavras de Lula parecem ter sido proferidas “de um agente comercial meloso, e não de um ex-governante”. “De verdade, deu pena vê-lo (Lula) prestar-se a esse papel, que revela mais interesse do que amor (à política)”, afirmou González.

Crítica

O deputado opositor Juan Carlos Caldera fez coro com González. Ele chamou o apoio de Lula de uma “intromissão” nos assuntos venezuelanos. Para ele, a atitude do ex-presidente brasileira revela o “desespero” de Chávez.

“O ex-presidente Lula não está no registro eleitoral dos venezuelanos. Ele não vai decidir a eleição presidencial. Quem vai fazê-lo são os venezuelanos e qualquer ato de solidariedade que tenha com Hugo Chávez ficará para a história, uma vez que ele (Lula) terá de se retratar com o perdedor”, disse Caldera.

Depois de destacar “o respeito à soberania e aos venezuelanos”, Caldera também criticou o apoio dado a Chávez por políticos de esquerda de diferentes países reunidos em Caracas para o 18º Fórum de São Paulo. “Foi um ato de campanha do Partido Socialista Unido da Venezuela (partido de Chávez) e um compromisso claro do presidente com uma agenda comunista que nós, venezuelanos, vamos rechaçar no dia 7 de outubro”, acrescentou Caldera.

Cerca de 19 milhões de venezuelanos devem comparecer às urnas nesta data para eleger o novo presidente do país para um mandato de 2013 a 2019. Chávez, que está no poder desde 1999 e se recupera de um câncer, lidera entre os sete nomes de seu partido para concorrer à reeleição. O único candidato opositor é Henrique Capriles, 39 anos, da MUD.

viaOposição venezuelana chama Lula de “mercador” e critica apoio a Chávez.

MEU COMENTÁRIO:

Só nos blogs e nas redes sociais, se saberá que Lula e o PT estão enfronhados em apoiar ditadores, porque pertencem a uma organização internacional, que deseja impor uma ditadura comunista na América Latina, usando para isso, o maligno FORO DE SÃO PAULO, com reuniões anuais, onde traçam seus planos comunistas e combinam suas sórdidas estratégias de enganação das populações já tão sofridas por enganadores anteriores, e tão ignorantes que não conseguem ver que caminham para a derrota da liberdade e da democracia…

Só através da internet se saberá que Lula é um duas caras, traidor, que zomba do povo brasileiro, ordeiro e amante da liberdade e da democracia, ao apoiar tantos regimes sanguinários e violentos, ditatoriais e malignos, como os de Kaddaffi na Líbia, que morreu nas mãos do próprio povo que tanto massacrou por décadas, mas que Lula estimava e chamava de irmão… Como também apoia o violento presidente do IRÃ, que prega a extinção de ISRAEL e que mantém seu país, num regime de extremo autoritarismo…

Só pela internet, porque nossa imprensa, em sua esmagadora maioria, se vendeu ao esquema corrupto que Lula implantou no Brasil, comprando o silêncio das emissoras de rádio e tv, com bilhões gastos na propaganda oficial do seu governo, mentindo descaradamente, dizendo que acabou com a dívida do Brasil, que a saúde beira a perfeição, que a segurança está uma maravilha, e pior, dizendo que acabou com a inflação… Mas o pior de tudo: MENTE DIZENDO QUE TEMOS JUSTIÇA, QUANDO VEMOS CLARAMENTE QUE ELE FORMOU UM STF, NÃO COM MAGISTRADOS COM COMPROVADO E EXTENSO CONHECIMENTOS JURÍDICO, MAS COM MEDÍOCRES QUE SE COMPROMETERAM COM ELE, EM LIVRÁ-LO DE QUALQUER PROCESSO POR SEUS CRIMES…

COMO FICAMOS EM MEIO A TUDO ISSO?

Com a palavra, a maioria covarde dos que se recusam a assumir a defesa do nosso BRASIL.

 

 

 

 

Cabos eleitorais bem pagos – opiniao – versaoimpressa – Estadão


Cabos eleitorais bem pagos (DO PT, CLARO)

01 de julho de 2012 | 3h 07

Notícia

A+ A-

Assine a Newsletter

O Estado de S.Paulo

“Deem a manchete com letras garrafais: a Câmara vai conceder reajuste para os servidores dos gabinetes.” Foi nesse tom, entre o irônico e o debochado, que o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), anunciou aos jornalistas na última terça-feira a concessão de um aumento de 30% da verba destinada ao pagamento dos salários dos funcionários contratados sem concurso para trabalhar nos gabinetes dos parlamentares, em Brasília ou no Estado de origem do contratante. Ao acrescentar o esclarecimento de que a decisão de conceder esse aumento já havia sido comunicada por ele “lá atrás” e não se concretizara então apenas pela indisponibilidade de recursos naquele momento, Marco Maia deixou clara a intenção implícita em sua manifestação: demonstrar que, não se tratando de novidade, a imprensa só daria destaque à notícia devido à má vontade, para dizer o menos, com que trata esse tipo de assunto.

Sem “manchete com letras garrafais”, mas com o destaque que a notícia efetivamente merece, o Estado a publicou em três colunas ao pé de página interna da edição do dia seguinte, quarta-feira: Em ano eleitoral, Câmara eleva em 30% verba para contratar assessor. Má vontade? Que julgue o leitor (e também o eleitor), que nos últimos dias praticamente só teve más notícias relacionadas com o uso de verbas públicas, como demonstram matérias publicadas por este jornal quase todos os dias a partir do último dia 20: Deputados do Amapá fazem ‘farra’ com verba de R$ 100 mil (20/06); Comissão da Câmara aprova emenda que acaba com tetos salariais no País (21/06); Parte do Judiciário já não acata tetos constitucionais (22/06); Tribunais superiores resistem a abrir acesso a despesas de seus ministros (23/06); Senadores têm plano de saúde com mais privilégios entre os Poderes (24/06). Excepcionalmente, no dia 23, uma boa notícia: Justiça acaba com auxílio-paletó na Assembleia (paulista).

Não é à toa que defensores da “democratização dos meios de comunicação” trabalham com afinco para impor restrições à ação da imprensa que não tem o rabo preso com o poder. Pois o que matérias jornalísticas como aquelas cujos títulos foram reproduzidos acima revelam é que grande parte dos homens públicos brasileiros, em particular os parlamentares, não pode ser apresentada como exemplo de austeridade no trato de recursos governamentais. Boa parte deles está lá exatamente para criar e aproveitar oportunidades de se locupletar à custa do contribuinte. Outra parte, mesmo que em princípio bem-intencionada, simplesmente não resiste às facilidades proporcionadas pelo poder. É como se “meter a mão” fizesse parte do exercício da política e fosse indissociável de sua “ética”.

A última má notícia para o bolso do cidadão brasileiro, anunciada às vésperas da abertura de mais uma campanha eleitoral pelo presidente Marco Maia, é a elevação de R$ 60 mil para R$ 78 mil da verba de que cada um dos 513 deputados federais disporá, a partir de 1.º de julho, para contratar livremente e manter a seu serviço 25 funcionários em seus gabinetes, em Brasília ou nos Estados. Estes últimos, aliás, como boa parte dos que vivem em Brasília, estão desobrigados de comprovar presença no trabalho. Ou, ficando no terreno da ironia, escolhido por Marco Maia, basta a palavra do parlamentar contratante para comprovar que todos os funcionários de seu gabinete estão republicanamente empenhados na defesa dos mais legítimos interesses públicos, onde quer que atuem. E só nas horas vagas se transformam em desinteressados cabos eleitorais.

O incremento dessa verba de gabinete está sendo feito a pretexto de que há muitos anos não é reajustada. E o cumprimento dessa promessa do presidente da Câmara, conhecido por seu forte espírito corporativo, consumirá até o fim do ano R$ 150 milhões já liberados pela presidente Dilma Rousseff. Quem se der ao trabalho de multiplicar R$ 18 mil por 513 e depois por 6 pagamentos mensais, verificará que o resultado cabe com sobras nos R$ 150 milhões. De fato, não chega nem a R$ 60 milhões. A sobra de mais de R$ 90 milhões deverá ser suficiente para cobrir o pagamento de horas extras, décimo terceiro salário, férias, encargos trabalhistas, etc. Tudo, como se sabe, absolutamente necessário num ano eleitoral.

viaCabos eleitorais bem pagos – opiniao – versaoimpressa – Estadão.

Voo rasante de avião estilhaça vidros do STF e do Congresso – O Globo

Status


Voo rasante de avião estilhaça vidros do STF e do Congresso – O Globo.

Incidente aconteceu durante cerimônia de troca de bandeira na Esplanda dos Ministérios

RIO – Os vidros dos prédios do Supremo Tribunal Federal e do anexo do Congresso Nacional, em Brasíla, ficaram estilhaçados, por causa do voo rasante de um caça da Aeronaútica. O barulho causado pela aeronave fez com paraticamente todos os vidros dos do prédio do STF, que tem a fachada toda de vidro, se quebrassem.

O incidente aconteceu durante cerimônia de troca da bandeira da Esplanada dos Ministérios. De acordo com as pessoas que acompanhavam a cerimônia, os caças passaram voando muito baixo e também assustaram as pessoas. Os bombeiros estão realizando o tragalho de retirada dos cacos de vidros e informaram que ninguém ficou ferido.

MEU COMENTÁRIO:

Creio que isso foi apenas um recadinho para os marginais que ocupam o poder, se darem por avisados, de que o poder da caneta não é mais forte que o poder de meia dúzia de caças bem armados, que podem reduzir o Palácio do Planalto, o Congresso e prédio que abriga o STF, a um monte de escombros, em apenas alguns minutos.

Essa seria uma forma heroica de libertar nosso povo de tantos bandidos infiltrados nos Três poderes desde que o País surgiu.

Tomara que nossas forças armadas estejam preparadas para agir, porque já passou da hora de se restaurar a verdade e a decência no BRASIL.

Ferreirinha ensina como receber benesses de autoridades – O Globo


Ferreirinha ensina como receber benesses de autoridades – O Globo.

BRASÍLIA – Novas gravações telefônicas da Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, mostram um dos envolvidos com a quadrilha do bicheiro Carlinhos Cachoeira ensinando como se deve pedir favor a um político. Porteiro do Palácio da Alvorada durante o governo Sarney e hoje funcionário da Infraero, Raimundo Costa Ferreira Neto, o Ferreirinha, funciona como um despachante para quem quer pedir ajuda a políticos, principalmente ao hoje presidente do Senado. Ele próprio recorreu a Sarney para ser promovido a superintendente regional da Infraero, o que não ocorreu. Ferreirinha é acusado de beneficiar o esquema do contraventor liberando máquinas de jogos de azar no aeroporto.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/topico-cpi-do-cachoeira/ferreirinha-ensina-como-receber-benesses-de-autoridades-5309934#ixzz1yqPaZu3Z
© 1996 – 2012. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
– Vou falar como se fala com uma autoridade. Tem que levar tudo mastigado, saber o que você quer, o que é, quem é responsável por lá e tudo porque eles não vão atrás de saber quem é que é, não. Então põe tudo num papel, direitinho, tudo certinho, aí eu entrego para ele e ele manda pra lá. Mas você tem que saber o que é, o telefone de quem é, quem é o responsável por isso. Autoridade quer as coisas assim, tudo mastigado, só para ele ligar e mandar para o cara: “Resolve isso pra mim e assina”. É assim que se resolve com uma autoridade. E não: “Ó, parece que vai ter um realinhamento na Eletronorte” – diz Ferreirinha para um homem identificado como Claudio, que queria que Sarney interviesse para reverter desconto de R$ 430 em seu contracheque da Eletronorte por ser cedido de outro órgão.
O próprio Ferreirinha recorreu a Sarney, em 31 de março do ano passado, para ser nomeado superintendente da Infraero. (Ouça aqui a conversa com o presidente do Senado)
Ao ouvir a preocupação do ex-porteiro do Alvorada com a possibilidade de um outro nome ser nomeado para o cargo, Sarney respondeu:
– Mas o cara está avisado já.
A assessoria do presidente do Senado afirmou que ele só ouviu a demanda do ex-funcionário do Alvorada mas não levou adiante. Ainda de acordo com a assessoria de Sarney, ele não sabia das relações de Ferreirinha com o grupo de Cachoeira.
– Todo mundo pede tudo ao Sarney e ele é muito generoso, então todo mundo pede ajuda. Mas ele não tem esse poder todo – afirmou o assessor Fernando César Mesquita.
Não foi só a Sarney que Ferreirinha pediu ajuda para virar superintendente regional da Infraero. Em conversa com o ex-diretor da empresa Rogério Bazelatti, o servidor diz que o senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO) também ficou de ajudá-lo. Já em outra escuta telefônica, Ferreirinha diz ao sargento da Aeronáutica Idalberto Matias, o Dadá, que Sarney falou com o “Meirelles”, que ficou de falar com o presidente da Infraero, Gustavo do Vale. Esse último foi diretor do Banco Central na gestão de Henrique Meirelles.
Na conversa com Claudio, o dos R$ 430, Ferreirinha recomenda que o amigo espere a nomeação de José Antônio Muniz Lopes, afilhado político de Sarney, para a presidência da Eletronorte, para só então encaminhar ofício ao presidente do Senado pedindo que resolva seu problema.
– Pois é, eu acho melhor esperar esse cara (Muniz Lopes) assumir logo, né – diz Ferreirinha. – Se o presidente (Sarney) quer tirar o cara (presidente da Eletronorte Josias Matos de Araújo), ele não vai pedir para esse cara, não. O problema é esse. O presidente quer colocar outro cara. Como é que ele vai pedir para o cara que ele quer tirar? Estou pensando logo isso.
Em um dos grampos, Ferreirinha recebe telefonema de um homem chamado Eduardo, pedindo credencial de estacionamento da Infraero. Ele responde que só terá como resolver quando assumir a superintendência da empresa e afirma que o presidente da Infraero suspendeu a credencial até de assessores da presidência do Senado.
Eduardo pergunta:
– Só ficou o pessoal que está trabalhando mesmo, né?
E Ferreirinha responde:
– Parece que só quem tem é o … Parece que nem o Vanderlei tem. (incompreensível). Só o Piccolo – diz Ferreirinha.- O pessoal tudinho do Senado foi cancelado.
Nas conversas telefônicas, Ferreirinha aparece como um para-raio de pedidos. Ele promete arranjar emprego na Infraero até para um ex-caso amoroso que foi demitida da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/topico-cpi-do-cachoeira/ferreirinha-ensina-como-receber-benesses-de-autoridades-5309934#ixzz1yqPj7xD2
© 1996 – 2012. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Mídia Sem Máscara – Debate e preconceito


Mídia Sem Máscara – Debate e preconceito.

É ilusório esperar que a racionalidade científica prevaleça num confronto que envolve muitos interesses e paixões; mas não é demais desejar que algumas pessoas capacitadas acompanhem e julguem o debate desde um ponto de vista menos enviesado e mais compatível com o estado atual dos conhecimentos.

O número dessas pessoas é, com certeza, mínimo. O que se observa nas disputas correntes é que cada facção, no empenho de conquistar a adesão do povo inculto e distraído, procure ideias e propostas, comprimindo-as nuns quantos slogans e chavões que possam ser repetidos até impregnar-se no subconsciente da multidão como imperativos categóricos, porém busca simplificar ainda mais as do partido contrário, reduzindo-as a um esquema caricatural próprio a despertar incompreensão e repugnância.

Para os fins práticos da disputa legislativa, é importante que tanto a adesão quanto a repulsa sejam alcançadas da maneira mais rápida possível, contornando discussões aprofundadas que poderiam amortecer as convicções da plateia ou adiar perigosamente a sua tomada de posição. Isso implica que as ideias do adversário não possam nunca ser examinadas objetivamente nos seus próprios termos e segundo suas próprias intenções, mas tenham de ser sempre deformadas para parecer tão repulsivas que a mera tentação de lhes conceder um exame benevolente soe ela própria como repulsiva, inaceitável, indecente.

O debate assim conduzido é, portanto, sempre e necessariamente uma confrontação de preconceitos, no sentido mais literale etimológico do termo. Esse sentido contrasta de maneira chocante com o uso polêmico que no curso do próprio debate se faça desse termo como rótulo infamante.

Carimbar as ideias do adversário como “preconceitos”, dando a entender que não passam de tomadas de posição irracionais e sem fundamento é, na maior parte dos casos, nada mais que um pretexto para não ter de examinar as razões que as fundamentam, muito menos a possibilidade de haverem nascido de boas intenções. Aquilo que aí se chama “debate” não é portanto nenhuma confrontação de ideias, mas uma mera disputa de impressões positivas e negativas, um jogo de cena.

É também natural que, justamente por isso, os debatedores procurem abrigar-se sob a proteção da “ciência”, mas nenhuma acumulação de dados estatísticos, nenhuma carga de citações acadêmicas ou mesmo de alegações cientificamente válidas em si mesmas dará qualquer legitimidade científica a um argumento, se este não inclui a reprodução fiel e a discussão científica dos argumentos antagônicos.

Ciência é, por definição, a confrontação de hipóteses: se, em vez deexaminadas extensivamente, as opiniões adversas são escamoteadas, caricaturadas, deformadas ou expulsas “in limine” da discussão, sob algum pretexto, de pouco vale você adornar a sua própria com as mais belas razões científicas. Não se faz ciência acumulando opiniões convergentes, mas buscando laboriosamente a verdade entre visões divergentes.

O teste da dignidade científica de um argumento reside precisamente na objetividade paciente com que ele examina os argumentos adversos. Quem logo de cara os impugna como “preconceitos” nada mais faz do que tentar criar contra eles um preconceito, dissuadindo a plateia de examiná-los.

Que as pessoas mais inclinadas a usar desse expediente sejam em geral justamente aquelas que mais apregoam a “diversidade”, a “tolerância” e o “respeito às opiniões divergentes”, não deve ser necessariamente interpretado como uma hipocrisia consciente, mas muitas vezes como sintoma de uma deformidade cognitiva bastante grave; deformidade que, por afetar pessoas influentes e formadores de opinião, arrisca trazer danos para toda a sociedade.

Quando digo “deformidade cognitiva”, isso não deve ser compreendido no sentido de mera deficiência intelectual moralmente inofensiva. A recusa de examinar as opiniões alheias nos seus próprios termos e segundo suas intenções originárias equivale à recusa de enxergar no adversário um rosto humano, à compulsão de reduzi-lo ao estado de coisa, de umobstáculo material a ser removido.

Essa compulsão é de índole propriamente psicopática (veja-se a ótima entrevista da psiquiatra Ana Beatriz Barbosa da Silva em http://www.youtube.com/watch?v=m_wUDsshdvk. Quando legitimada em nome de belos pretextos humanitários, torna-se uma força ainda mais desumanizante, pois remove a conduta moral do campo da vida psíquica concreta para o da simplesadesão a um grupo político ou programa ideológico. O ser humano,então , deixa de ser julgado bom ou mau por seus atos e sentimentos pessoais, mas por aderir à facção previamente autodefinida como detentora monopolística das boas intenções – facção dispensada, por isso mesmo, de conceder ao adversário a dignidade da atenção compreensiva.
A percepção direta das motivações humanas é aí substituída por um sistema mecânico de reações estereotípicas, altamente previsíveis e controláveis. E quando o programa já se tornou tão disseminado na mídia, no sistema de ensino e no vocabulário corrente ao ponto de já não precisar apresentar-se explicitamente como tal, mas passa a soar como a voz impessoal e neutra do senso comum, então a desumanização preventiva do adversário torna-se o procedimento usual e dominante nos debates públicos.

Não é preciso dizer que esse estado de coisas já vigora no Brasil desde há pelo menos uma década. Estamos em pleno império da manipulação psicopática da opinião pública.